fbpx

A Agência Internacional de Energia (IEA) revelou que, muito provavelmente, o maior aumento da história das emissões globais de CO2 acontecerá este ano.

A entidade estima que serão emitidos 1,5 mil milhões de toneladas de CO2, um número que acarretará um recorde que a humanidade preferia não registar. A IEA refere ainda que este valor será alcançado devido à recuperação na procura do carvão no sector da energia, já que as estimativas revelam que a procura global de carvão deve crescer 4,5% este ano, próxima de 2014, quando atingiu o seu pico. O diretor da Agência Internacional de Energia revelou ainda que a procura global de energia deve aumentar 4,6% em 2021.

Mas nem tudo são más notícias, já que Fatih Birol acrescentou que o crescimento das energias renováveis, principalmente a energia solar e eólica, deverão apresentar aumentos recordes este ano, concretamente 8% em 2021, sendo responsável pela maior parte do aumento do fornecimento de energia global.

LEIA TAMBÉM
O aviso da Agência Internacional de Energia

Apesar destes dados, Fatih Birol admitiu que não são suficientes tendo em vista a luta climática que atravessamos. O dirigente ressaltou que a economia mundial ainda não está a funcionar a 100% devido à pandemia e mesmo assim deverá alcançar em 2021 o seu recorde de emissões globais de CO2.

O diretor da Agência Internacional de Energia acredita que, em 2022, os números deverão ser novamente ultrapassados, a não ser que surjam mudanças políticas imediatas que encontrem soluções para a procura de carvão e petróleo, por exemplo…

Author

Nascida em Luanda no ano de 1988, licenciei-me em Gestão pela Universidade de Miami, nos Estados Unidos. Com uma sede insaciável de conhecer o mundo, já vivi em três continentes e sete cidades, capacitando-me assim a dominar várias culturas e quatro línguas: português, inglês, espanhol e francês. Estudiosa por natureza, em 2010 frequentei o Mestrado em Negócios na American Business School of Paris, tendo recebido, no ano seguinte, o diploma de Desenvolvimento de Negócios Internacionais, com a dissertação de mestrado “O Papel das Organizações Não Governamentais no Processo de Reconstrução Social Pós-Conflito em Angola”. Ao longo da minha carreira profissional, procurei sempre enriquecer o meu conhecimento. Embora o meu percurso académico tenha iniciado pela via económica, a minha carreira profissional percorre, desde sempre, no mundo das Energias Renováveis e Não-renováveis.

Deixe seu comentário