fbpx

Em época de férias, há cada vez mais pessoas interessadas no denominado turismo ecológico, uma área cada vez mais importante nos dias de hoje.

Nos dias de hoje, ter uma posição ambiental é um comportamento cada vez mais assumido pelas pessoas. Um comportamento que, no nosso entender, deve ditar o nosso futuro próximo a todos os níveis. Inclusive nas férias, ainda mais sendo o turismo um dos grandes responsáveis pelas alterações climáticas (segundo várias pesquisas, o turismo é responsável por cerca de 5% das emissões globais de dióxido de carbono).

A grande questão é como abdicar dos nossos hábitos em favor do ambiente? O dilema é constante, já que poucos querem abdicar dos seus respectivos estilos de vida, como comer carne, tomar banho na banheira, viajar de carro ou avião, etc.

LEIA TAMBÉM
A importância da Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO

Evidentemente que não apregoamos que todos tenhamos uma vida budista, mas a verdade é que podemos, através de algumas medidas, fazer o nosso papel, tais como:

  1. Evitar viajar de avião e navios de cruzeiro, os meios de transporte mais poluentes do mudo. Opte pelo comboio ou carros eléctricos. Se não tiver alternativa e o avião ser obrigatório, pague a taxa ecológica que muitas companhias apresentam, que compensa o seu gasto ao utilizar aquele voo
  2. Viajar em época baixa, já que aumenta o equilíbrio entre o volume de turistas e as populações locais. Não podemos esquecer que o excesso de turistas acaba por mexer com o comportamento ambiental das cidades (Veneza é o caso mais claro desta problemática). Turismo em massa significa falhas e aumento dos recursos, maior acúmulo de lixo, etc.
  3. Escolher hotéis que já tenham, na sua política, práticas ambientais, desde a sua construção, com a utilização de materiais amigos do ambiente e com origens locais, até o uso de painéis solares, ao uso racional da água e ao desperdício alimentar, por exemplo 
  4. Não deixar o lixo na natureza e nas cidades. Se não encontrar um caixote, levar o lixo connosco até um local onde o possamos deixar 
  5. Evitar o consumo desnecessário, principalmente produtos que promovam a utilização do plástico. Procure comprar o essencial, privilegiando os produtos locais e sustentáveis
  6. Evitar a utilização do papel. É normal imprimirmos os nossos bilhetes e levarmos papéis com algumas indicações das nossas viagens. Com os aplicativos que há nos nossos dias, é uma acção incompreensível
  7. Em vez de comprar garrafas de água atrás de garrafas de água, utilizar uma garrafa reutilizável
  8. Evitar lavar diariamente as toalhas e lençóis nos hotéis, assim como a utilização de materiais de plásticos (como copos, escova de dentes dos hotéis, etc.)
  9. Na alimentação, consumir apenas aquilo que consumimos. Principalmente nos hotéis, é normal termos mais olhos do que barriga, o que faz com que haja um incompreensível desperdício de alimentos
  10. Habitualmente, as grandes atracções e pontos turísticos das cidades estão próximos entre si. Por isso, andar é o melhor modo de conhecer uma cidade. Caso não seja possível, privilegiar os meios de transporte eléctricos (carros, trotinete, autocarros, etc.), assim como o comboio
Author

Nascida em Luanda no ano de 1988, licenciei-me em Gestão pela Universidade de Miami, nos Estados Unidos. Com uma sede insaciável de conhecer o mundo, já vivi em três continentes e sete cidades, capacitando-me assim a dominar várias culturas e quatro línguas: português, inglês, espanhol e francês. Estudiosa por natureza, em 2010 frequentei o Mestrado em Negócios na American Business School of Paris, tendo recebido, no ano seguinte, o diploma de Desenvolvimento de Negócios Internacionais, com a dissertação de mestrado “O Papel das Organizações Não Governamentais no Processo de Reconstrução Social Pós-Conflito em Angola”. Ao longo da minha carreira profissional, procurei sempre enriquecer o meu conhecimento. Embora o meu percurso académico tenha iniciado pela via económica, a minha carreira profissional percorre, desde sempre, no mundo das Energias Renováveis e Não-renováveis.

Deixe seu comentário